Seleção neutralidade na rede SLCampusParty

Jornal Software Livre Notícias número 5!
Os especialistas falam sobre neutralidade na rede. 
Link para o PDF:

Ouça Marcelo Branco falando sobre neutralidade na rede:http://www.slcampusparty.com.br/marcelo-branco.mp3


Ouça Sérgio Amadeu falando sobre neutralidade na rede:http://www.slcampusparty.com.br/sergio-amadeu-da-silveira.mp3


Ouça João Caribé falando sobre neutralidade na rede:http://www.slcampusparty.com.br/joao-carlos-caribe.mp3 


Ouça Fátima Conti falando sobre neutralidade na rede:http://www.slcampusparty.com.br/fatima-conti.mp3

0 comentários:

Super tux Kart - Com novidades é lançado para Ubuntu


Acelere com o Tux!
Super Tux Kart tem a proposta de ser um game de corrida divertido semelhante ao Super Mario Kart da Nintendo, lembro que logo que comecei a usar Linux este foi o primeiro game que instalei.
Super Tux Kart é um clássico dos games para Linux e até hoje se mostra muito divertido.

Para os que curtem o jogo as novidades são animadoras e tornam o game ainda mais empolgante, são elas:

Novos desafios no modo carreira
Inteligência Artificial melhorada
Colisões e derrapagens com uma melhor física
Nova fase Green Valley
Nova pista Blackhill Mansion
Pista da Selva atualizada
Novas músicas
Menus atualizados

Tirando as novidades citadas acima o game continua com a mesma jogabilidade e com os personagens do mundo do Tux, cada qual com seu carro.

Instalação da nova versão

Existe uma versão de Super Tux Kart nos repositórios do Ubuntu e do Linux Mint e que está disponível via Central de Programas, mas esta versão não vem com estas mudanças.

Para instalar a nova versão você deve adicionar um PPA, abra o terminal e use os seguintes comandos:

$ sudo add-apt-repository ppa:stk/dev + enter
$ sudo apt-get update + enter
$ sudo apt-get install supertuxkart + enter

Gameplay 

1 comentários:

LightZone renasce como software livre


Um dos primeiros alta qualidade editores de fotos RAW para desktops Linux foi LightZone, mas apesar de ter sido (inicialmente) de forma gratuita, era um produto proprietário. Infelizmente a pequena empresa por trás dele, eventualmente, fechou as portas, e ambas as versões gratuitas e pagas se foram, assim como as atualizações necessárias para suportar câmeras mais recentes. A empresa fechou suas portas definitivamente em 2011, mas o software pode retornar como um projeto de código aberto. Fãs do original ficarão satisfeitos, mas estes esforços ainda encontrarão pela frente um trabalho considerável antes que se torne em um projeto de comunidade auto-sustentável.

LightZone foi lançado em meados de 2005, primeiro para Mac OS X, seguido alguns meses depois, por uma versão para Windows. Mas o aplicativo foi escrito em Java, e em 2006, por um desenvolvedor da Light Crafts, empresa começou a construí-lo para GNU/Linux, bem como, os pacotes já compilados (com permissão) em seu site pessoal. A resposta foi positiva o suficiente para que a Light Crafts logo começasse a fornecer o LightZone para GNU/Linux como um release oficial, que, ao contrário das ofertas para os sistemas operacionais proprietários, era gratuito. Talvez essa situação obrigou-os a mudar de ideia (afinal, custava-se dinheiro para produzi-lo), foi quando a Light Crafts começou a cobrar por licenças para GNU/Linux também.


Obviamente que a correção de bugs é importante, mas LightZone como um projeto auto-sustentável tem uma tarefa mais difícil pela frente em outras áreas. Para começar, o projeto precisa decidir formalmente uma licença. O documento de direitos autorais no “source” foi importado com o resto do código, pois ela traz um curta, declaração de direitos autorais BSD-like do fundador da Light Crafts, Fabio Riccardi e uma data de 2011, mas o projeto terá de deixar isso claro. Seguindo em frente, como Tex Andrews publicou no site do novo projeto, o grupo terá que começar a trabalhar em documentação, traduções, e discutir “certas questões organizacionais que agora enfrentamos.”

A história completa em detalhes pode ser conferida aqui (em inglês).

Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

Mega já recebeu 150 notificações por violação de direitos autorais

O serviço de compartilhamento de arquivos Mega recebeu 150 notificações para violações de direitos autorais desde o seu recente lançamento. Kim Dotcom, o fundador do site, ainda está sob acusação pelo Ministério Público dos Estados Unidos por conta do Megaupload.

Um site francês parece já estar hesitante, depois de coletar links para o conteúdo armazenado no Mega, incluindo supostos arquivos do filme “Django Livre” de Tarantino (“Django Unchained”, em inglês), do Office e da música “Bennie and the Jets”, do Elton John.

Lançado em 20 de janeiro, o Mega permite às pessoas armazenar 50GB de conteúdo criptografado gratuitamente. Esses arquivos podem ser compartilhados entre usuários por meio de links e podem ser decifrados se o usuário que compartilha também divulgar a chave de criptografia.

O serviço foi desenvolvido com o objetivo de evitar as acusações de violação de direitos autorais que assolaram o Megaupload, fechado em janeiro de 2012. Como o conteúdo enviado é criptografado, o Mega não pode determinar o que está nos arquivos armazenados. Mas os removerá caso receba uma notificação de infração de direitos autorais.

Um dos advogados do Mega e Megaupload, Ira P. Rothken, disse na quarta-feira (30/1) que o serviço tem respondido prontamente às notificações de violações de copyright, “e inclusive ajudado a corrigir avisos defeituosos ou incompletos”.

“O Mega não quer que pessoas usem seus serviços de armazenamento em nuvem com propósitos de violação”, disse Rothken via e-mail.

Nos EUA, prestadores de serviços podem receber notificações de violação de direitos autorais sob o Digital Millennium Copyright Act. Se válido e apresentado na forma correta, o prestador de serviços é obrigado a remover rapidamente o conteúdo, ou bloqueá-lo.

Rothken disse que os 150 pedidos, que dizem respeito a 250 arquivos, vieram dos EUA, assim como de outros países. Muitos lugares, incluindo os Estados Unidos, têm os chamados “porto seguro” disposto nas leis dos direitos autorais, que isenta provedores de responsabilidade, desde que o conteúdo ilegal seja removido.

Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

Airdroid - Integração Android + PC sem fio


Quer acessar contatos, arquivos etc do seu dispositivo Android usando o PC e, ainda, passar arquivos do PC para os diretórios do Android sem usar cabos? 

Então você precisa do AirDroid! 

Para instalar este aplicativo no seu Android, acesse:


Usando o QR Code é mais simples. ;) 

Depois de instalado, acesse no seu navegador favorito:


Use a câmera para capturar o QR Code e pronto! Em um piscar de olhos seu Android estará sincronizado com uma interface Web. 

Simples, bonito, grátis e incrivelmente útil. 

Por exemplo, passei um filme do meu notebook para o celular, um procedimento sem fio usando o AirDroid. E, usando o AllShare Play da Samsung, assisto em HD o vídeo que está no celular, só que na minha TV, outro procedimento sem fio! 

Veja o vídeo que mostra, em pouco tempo, o poder do AirDroid:


Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

Passeio na Campus Party 2013 - Terceiro dia

Passeio na Campus Party 2013 - Terceiro dia, mostrando um pouquinho de algumas partes da arena da CPBR6 para os colegas que estão de fora.

0 comentários:

LeechCraft - internet client que suporta um grande número de serviços


LeechCraft é um internet client modular multi-plataforma (open source) que suporta um grande número de serviços. Uma espécie de canivete suíço. Navegador completo com suporte para todos os principais padrões Web, comunique-se com o Jabber, IRC, feeds / RSS, download BitTorrent, FTP, HTTP, browser de mídia (não é um media player embutido). O programa tem seu próprio catálogo de extensões, temas, ícones e muito mais.


INSTALAR VERSÃO DE TESTES

Para instalar no Ubuntu basta abrir um terminal (CTRL+ALT+T) e digitar os seguintes comandos:

PPA de terceiros... adicione por sua conta e risco!

$ sudo add-apt-repository ppa:tehnick/leechcraft-unstable + enter
$ sudo apt-get update + enter
$ sudo apt-get install leechcraft + enter 

INSTALAR VERSÃO ESTÁVEL

$ sudo add-apt-repository ppa:tehnick/leechcraft-stable + enter 
$ sudo apt-get update + enter
$ sudo apt-get install leechcraft + enter

Ou faça o download neste link.

Splash screen do programa:


Um pequeno assistente te guiará na configuração. No caso de dúvidas, aceite a resposta marcada:


No lado esquerdo você tem vários botões, cada um com uma ferramenta diferente para utilizar:


disponível para:
página do projeto: leechcraft.org
Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

Etiqueta e capa de DVD - Template Meus Vídeos


Etiqueta e capa de DVD para filmagens em geral. Você pode utilizar em diversas ocasiões de filmagens: férias, passeios, qualquer evento registrado com uma câmera filmadora. Os arquivos estão separados por camadas, são totalmente editáveis. São dois arquivos: capa e etiqueta.


(5,5 MB | XCF | RAR | link direto)
Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

LibreOffice 3.6.5 disponível


Foi liberada a versão 3.6.5 do LibreOffice, o sexto lançamento da série 3.6.xda suite de escritório. Com esta disponibilização ganhamos muitas correções de bugs e melhorias. Para ficar por dentro leia sobre os novos recursos e correções. O PPA ainda não foi atualizado (hoje, 31/01/13). Aguarde atualização nos próximos dias.

REMOVENDO VERSÕES ANTIGAS

Antes de tudo, remova qualquer versão do OpenOffice/BrOffice com o seguinte comando:

$ sudo apt-get -y remove openoffice*.* + enter

QUEM JÁ TEM O PPA

Se você já tem o LibreOffice instalado via PPA, faça num terminal:

$ sudo apt-get update && sudo apt-get dist-upgrade + enter

QUEM AINDA NÃO TEM O PPA

Se você ainda não tem o PPA do LibreOffice, faça:

$ sudo add-apt-repository ppa:libreoffice/ppa + enter
$ sudo apt-get update + enter
$ sudo apt-get install libreoffice libreoffice-gnome + enter

INSTALAÇÃO MAIS COMPLETA

Ou ainda... para uma instalação mais completa, faça:

$ sudo add-apt-repository ppa:libreoffice/ppa + enter
$ sudo apt-get update + enter
$ sudo apt-get install libreoffice libreoffice-l10n-pt-br libreoffice-gnome libreoffice-gtk libreoffice-pdfimport mozilla-libreoffice + enter

Ou faça o download neste link.

Disponível para:
página do projeto: libreoffice.org
Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

Kitchen Timer - timer open source para Android


Kitchen Timer, como o nome diz, é um timer/cronômetro útil para diversas situações, como por exemplo: faz a contagem regressiva de um determinada tarefa na cozinha, quando o limite de tempo for alcançado é disparado uma alarme. Pressione a tecla MENU para entrar com as configurações e pré-fixados. Para DESLIGAR O ALARME pressione o cronômetro vermelho ou use/abre a Barra de Notificações. 3 cronômetros independentes, tempos pré-fixados, customização dos alarmes, tela sempre ligada (opcional).


página do projeto: code.google.com/p/kitchentimer
Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

Computador de US$ 35 (R$ 70,00), quer levar tecnologia a todos

O Raspberry Pi pesa 45 gramas, cabe na palma da mão e faz muitas das coisas que um computador normal faz. Com ele, é possível criar planilhas, jogar games, editar textos ou até controlar o processo de fermentação da cerveja. Tema de uma das palestras realizadas ontem na Campus Party, o maior evento de tecnologia e ciência do Brasil, o minicomputador já teve 1 milhão de unidades vendidas um ano após seu lançamento.

O preço é um dos principais apelos do produto, que praticamente não passa de um circuito impresso com chips. A versão mais simples, com 256 megabytes (MB) de memória RAM, custa US$ 25. A mais avançada, com 512 MB e ponto de conexão à internet, sai por US$ 35. No Brasil, porém, o equipamento é vendido por R$ 170, mais o frete.

O sucesso nas vendas fez a Raspberry Pi Foundation, organização sem fins lucrativos nascida no laboratório de computação da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, suspender a restrição de compra (apenas um por pessoa). Agora, o usuário pode comprar quantos quiser, o que elevou a produção para 4 mil unidades por dia.

O minicomputador é pensado, sobretudo, para crianças. A razão disso está na percepção dos criadores do equipamento de que os jovens estão, cada vez mais, menos habilidosos no quesito programação. "Ao contrário dos garotos de 1990, que chegavam ao curso de ciência da computação já com a programação como um hobby, os dos anos 2000 têm apenas alguma experiência com webdesign", diz a página da organização na internet.

É por isso que o maior uso do computador tem sido nas escolas, principalmente na Inglaterra, onde a associação está baseada e parcerias com empresas tendem a ser mais frequentes. Ontem, o Google anunciou que distribuirá 15 mil Raspberry Pis a escolas no Reino Unido, com a esperança de estimular a criação de uma nova geração de cientistas da computação.

Impulso. Jon Hall, diretor executivo da Linux que é um dos entusiastas do Raspberry Pi, diz que o uso do minicomputador ganhou impulso quando a comunidade acadêmica percebeu que não havia programadores suficientes para "suprir as necessidades da sociedade moderna". "Os softwares que as pessoas precisam não podem ser todos produzidos por uma companhia só, como Apple ou Microsoft. Você tem de ter pessoas que entendam como os computadores funcionam e saibam quanto custa desenvolver um software."

No Brasil, por enquanto, há poucos usuários do Raspberry Pi. Um deles é Fernando Masanori Ashikaga, professor do curso de análise e desenvolvimento de sistemas da Faculdade de Tecnologia de São José dos Campos, que usa o minicomputador como ferramenta de trabalho. Em vez de notebook, ele leva o Raspberry Pi e o conecta a um projetor. O equipamento tem portas USB, entrada para o cabo da internet e pode ser conectado à TV e a um teclado. Para funcionar, basta ligá-lo na tomada.

Além de uso pessoal, o Raspberry Pi de Ashikaga serve como inspiração para os estudantes que estão aprendendo a escrever códigos. "Eles podem ver por dentro como tudo funciona. E o fato de o computador ser pequeno faz a pessoa perder o medo de entender programação." Para o professor, a simplicidade do Raspberry, ante a complexidade de um Mac, diminui a resistência dos alunos e colabora para reduzir um problema do mercado: "O pessoal está se afastando da computação. Faltam profissionais".

O Raspberry Pi também pode ser fonte de lucro. Há casos de aplicações comerciais baseadas no computador que atraem a atenção de governos e empresas. Na Colômbia, um garoto desenvolveu um sistema de casa automatizada controlada pelo celular. No Brasil, o estudante Alejandro Mesias empregou o equipamento na área agrícola. Com a aplicação desenvolvida por ele, um fazendeiro de Amparo, interior paulista, consegue ver se o solo precisa de fertilizantes.
NAYARA FRAGA - O Estado de S.Paulo
Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

CoreOnLine - Rodando games em HD direto do navegador


Hitman Blood Money e Tomb Raider sem precisar instalar nenhum bit
Estes são só alguns exemplos dos games disponibilizados pelo serviço Core Online. Com ele você poderá jogar grandes games diretamente pelo Google Chrome (não exclusivamente, mas preferencialmente) com todo o poder que a computação em nuvem tem a oferecer.

Como funciona?

Simples, a tarefa de processar as informações dos games, grandes quantidades de processamento de dados e vídeo e repassado ao servidor, sendo assim o único requisito que você precisa para jogar é um bom navegador e uma boa conexão com a Internet.

Quais os games disponíveis?

O serviço ainda é um beta e tem poucos games, mas a tendência é aumentar, dentre os títulos disponíveis estão:

Tomb Raider Underworld
Hitmam Blood Money
Mini Ninjas
Gyromancer ( RPG )
Heroes and Generals

Dentre esses acredito que o mais mereça destaque, por ser o que eu mais gosto e ser o que tem o melhor gráfico, Hitman Blood Money.

Gráficos

Os gráficos são realmente excelentes, ficam claro, um pouco abaixo do nível se você rodasse na sua própria máquina mas não deixa nenhum um pouco a desejar.

Veja um vídeo de Hitman jogado pelo Core Online, comprove a jogabilidade e a qualidade gráfica:


Se você acessar usando o navegador Google Chrome, quando for jogar alguns dos jogos do site, primeiro ele vai te redirecionar para o Chrome Web Store para que você instale um aplicativo para o jogo que nada mais é do que um simples atalho.

Testei o Mini Ninjas e Tomb Raider no meu Chrome no Ubuntu e funcionou legal, não testei o Hitman porque como vocês verão ao começar jogar algum deles é preciso que o navegador faço o download de alguns arquivos para que fique em Cache e rode o game sem travamentos, como o Hitman tem um melhor gráfico o tempo de download é maior do que a minha paciência no momento.

Se a sua internet for de 3 MB ou mais provavelmente você não precisará fazer café para esperar o game carregar.

Esta é uma tendência que eu acredito que cresça nos próximos anos, a computação em nuvem cada vez mais e mais substituindo o processamento local.

0 comentários:

XBMC 12.0 Frodo lançado - com versão oficial para Android


Os desenvolvedores do popular XBMC Media Center open source e multi-plataforma aberta anunciou o lançamento da nova versão 12.0 Frodo. XBMC 12.0 além das versões para GNU/Linux, Mac OS e MS Windows, foi lançado para Android e Raspberry PI. Entre as principais novidades do novo XBMC 12.0 Frodo está uma maior estabilidade, melhorias de desempenho e a capacidade de gravar vídeo (tais como os nossos programas de TV favoritos), através da funcionalidade PVR.

XBMC 12.0 Frodo também traz uma nova capa padrão e uma nova tela sensível ao toque. A nova pele melhora significativamente a experiência do usuário que usa controle remoto, mouse ou teclado com uma tela de toque. Introduziu um novo recurso para integrar facilmente as capas de filmes em nossa coleção de mídia. O novo XBMC 12.0 para Android permite explorar a aceleração gráfica do braço principal do chip de vídeo de forma a melhor a reprodução do conteúdo em alta definição.

Para instalar no Ubuntu basta abrir um terminal (CTRL+ALT+T) e digitar os seguintes comandos:

PPA de terceiros... adicione por sua conta e risco!

$ sudo apt-add-repository ppa:team-xbmc/ppa + enter
$ sudo apt-get update + enter
$ sudo apt-get install xbmc + enter
 
Ou faça o download neste link.

disponível para:
página do projeto: xbmc.org

Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

Richard Stallman estava certo o tempo todo

No ano passado, o presidente Obama assinou uma lei que torna possível deter indefinidamente suspeitos de terrorismo sem qualquer forma de julgamento ou processo devido. Manifestantes pacíficos do movimento Occupy em todo mundo foram rotulados como terroristas pelas autoridades.

Iniciativas como o SOPA promovem monitoramento constante de canais de comunicação. A trinta anos atrás, quando Richard Stallman lançou o projeto GNU, e durante as três décadas que se seguiram, seus pontos de vistas, às vezes extremos, e modos peculiares foram ridicularizados, desconsiderados e tratados como paranoia - mas aqui estamos, 2012, e sua outrora considerada paranoia se tornou realidade.

Até há relativamente pouco tempo, foi fácil desconsiderar Richard Stallman, tratando-o como um fanático paranoico, como alguém que perdeu o senso de realidade a muito tempo atrás. Uma espécie de eterno hippie da computação, a perfeita personificação do arquétipo do puro nerd que mora num porão. Sua barba, cabelo e roupas - em nosso mundo visual, é muito fácil repudiar-lo.

Seus pontos de vistas sempre foram extremos. Seu único computador é um netbook chinês Lemote Yeelong, porque é o único computador que utiliza apenas de Software Livre - sem firmware blobs, sem BIOS proprietários; é tudo livre. Ele também recusa possuir um telefone celular, porque estes são facilmente rastreáveis; então enquanto não houver um celular equivalente ao Yeelong, Stallman não terá um. Em geral, todo o Software deve ser livre. Ou, como a Fundação Free Software coloca:

"Como a nossa sociedade cresce mais dependente de computadores, o software que rodamos é de grande importância para garantir o nosso futuro como uma sociedade livre. O Software Livre diz respeito a ter controle sobre a tecnologia que usamos em nossas casas, escolas e negócios, onde o computador trabalha para o nosso beneficio individual e comum, e não para as corporações de software proprietário ou governo que buscam restringir nossa liberdade nos monitorando".

Eu, também, considerava Stallman um tanto radical. Software livre para controlar e combater a espionagem de governos? Corporações diabólicas que querem dominar o mundo? Software como ferramenta para monitorar canais de comunicação privados? Certo. Certamente, o Software Livre e de código-fonte aberto são importantes, e eu escolho a estes sempre que existe a equivalência funcional com outras soluções proprietárias.

Mas aqui estamos, no início de 2012. Obama assinou um NDAA (National Defense Authorization Act) para 2012, tornando possível que cidadãos americanos sejam detidos indefinitivamente sem qualquer julgamento ou processo devido, apenas porque eles são suspeitos de terrorismo. Ao mesmo tempo, nos temos o SOPA, que, caso seja aprovado, pode operar um sistema no qual websites pode ser tirados do ar, de novo sem qualquer julgamento ou processo devido, e também possibilita o monitoramento da Internet. Junte isto e como as autoridades rotularam o movimento pacífico Occupy - considerado-os terroristas - e você pode ver onde isto vai dar.

Caso tudo isto te lembre a China ou qualquer outro regime totalitário, você não está sozinho. Até a Motion Picture Association of America (MPAA), orgulhosamente proclama que o que funciona na China, Síria, Irã e outros, deve funcionar também nos Estados Unidos. O "Grande Firewall" da China e sistemas similares de filtragem são glorificados como soluções funcionais no que é considerado como o mundo livre.

O cerne da questão aqui é que ao contrário dos dias de outrora, onde regimes repressivos precisavam de elaboradas redes de polícia e informantes para monitorar as comunicações, tudo o que eles precisam agora é o controle sobre o software e o hardware que nós usamos.

Nossos computadores pessoais, notebooks, tablets, smartphones e todo tipo de dispositivos que fazem parte de virtualmente toda a nossa comunicação. Você pensa que está livre quando se comunica cara a cara? Pense de novo. Como você combinou este encontro? Pelo telefone? Pela web? E o que você tem no bolso ou mochila, sempre conectada a rede?

Isto é o que Stallman esta nos alertando a todos estes anos - e a maioria de nós, incluindo eu mesmo, nunca levamos muito a sério. Porém, conforme o mundo muda, a importância de verificar o que o código dos nossos dispositivos esta fazendo - torna-se cada vez mais importante. Se nós perdemos a possibilidade de verificamos o que o nosso computador esta fazendo, estamos enrascados.

Isto é a principal crença da Fundação Free Software e de Stallman: que o software proprietário toma o controle do usuário, e que pode levar a consequências desastrosas, especialmente agora que dependemos dos computadores para virtualmente tudo o que fazemos. O fato de que Stallman previu isto a quase trinta anos atrás é notável, e sustenta ainda mais o seu ativismo. Isto justifica os 30 anos da Fundação Free Software.

E, em 2012, nos provavelmente precisaremos mais do que nunca do Software Livre e de seus ativistas. No Congressos Chaos Computer em Berlin no final de 2011, Cory Doctorow apresentou uma palestra "The Coming War on General Purpose Computation". Nesta, Doctorow avisa que o computador de uso geral, mais especificamente, que o controle do usuário sobre o computador, é percebido como uma ameaça ao establishment. A Guerra do Copyright? Nada mais que um prelúdio da guerra real.

"Como um membro da geração Walkman, eu aceitei o fato de que eu precisarei um aparelho auditivo muito anos antes de morrer, e é claro, não será um aparelho auditivo qualquer, será um computador dentro do meu corpo," explica Doctorow, "Assim, quando eu entro em um carro - um computador que eu entro dentro dele - com o meu aparelho auditivo - um computador dentro de mim - E eu quero saber se estas tecnologias não foram projetadas para manter segredos de mim, e que impeçam que eu finalize processos que possam trabalhar contra meus interesses".

E esta é realmente a essência de tudo isto. Com computadores tomando contas de coisas como a nossa audição, direção e muito mais, e nós não podemos ficar presos a eles por eles. Nós precisamos ser capazes de olhar dentro destes e ver o que esta acontecendo, para garantir que não estamos sendo monitorados, filtrados, ou o que seja. A pouco tempo atrás eu diria que isto é pura paranoia - mas com tudo o que vem acontecendo, isto não é mais paranoia. É a realidade.

"A liberdade no futuro necessitará que nós tenhamos capacidade de monitorar nossos dispositivos definindo como estes funcionam, para verificar e terminar processos que rodem nestes, para manter estes como servidores honestos da nossa vontade, e não traidores e espiões trabalhando para criminosos, bandidos e anormais controladores," Doctorow avisa, "E nós ainda não perdemos, mas precisamos ganhar a guerra do copyright para manter a Internet e os computadores pessoais livres e abertos. Porque estas são as ferramentas na guerra que esta por vir, não seremos capazes de lutar sem elas".

Existira um ponto onde ser livre / aberto não será apenas uma coisa divertida, mas uma necessidade. E este ponto esta chegando rápido.

Autor: Thom Holwerda
Traduzido Livremente de: osnews.com
Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

Instalar o Kernel Linux 3.7.5 no Ubuntu / Linux Mint

Está disponível o Kernel Linux 3.7.5, a quinta versão de manutenção da série 3.7.x para usuários de GNU/Linux. Esta atualização traz mais correções de bugs e melhorias. O script de atualização também foi atualizado para que os usuários possam atualizar para este novo kernel sem problemas. Você tem que ter em mente que a atualização do kernel pode tornar o sistema instável, inútil ou até mesmo pode causar a perda de alguns drivers de dispositivo (WiFi, vídeos, etc), por isso é recomendado que você faça backup de seu sistema antes de prosseguir para a instalação.

INSTALAR KERNEL 3.7.5

Para instalar no Ubuntu basta abrir um terminal (CTRL+ALT+T) e digitar os seguintes comandos:

$ cd /tmp + enter 
$ wget http://dl.dropbox.com/u/47950494/upubuntu.com/kernel-3.7.5 -O kernel-3.7.5 + enter
$ chmod +x kernel-3.7.5 + enter
$ sudo sh kernel-3.7.5 + enter
$ sudo reboot + enter

Ou faça o download neste link.

PROPRIETÁRIOS DE PLACA NVIDIA

Se você tiver problemas após a reinicialização (tela preta, por exemplo) pressione Ctrl+Alt+F2 (ou acesso Recovery Mode através do menu de inicialização do Grub), em seguida digitar os seguintes comandos:

$ cd /usr/src/linux-headers-3.7.5-030705/arch/x86/include + enter
$ sudo cp -v generated/asm/unistd* ./asm + enter
$ sudo apt-get install --reinstall nvidia-current + enter

Ao reiniciar o sistema abra um terminal e corra o seguinte comando para verificar a versão do seu Kernel:

$ uname -r + enter


REMOVER O KERNEL 3.7.3

$ sudo apt-get purge linux-image-3.7.5* + enter

Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

CPBR6 dando um passeio....

Passeio na Campus Party 2013 - Segundo dia, mostrando um pouquinho de algumas partes da arena da CPBR6 para os colegas que estão de fora.

0 comentários:

Cadunico fazendo arte

Nosso amigo, Cadunico (Cadu) do http://gnugraf.org, resolveu fazer um hangout sobre o Gimp e disponibilizar para os interessados, vale a pena assistir muito boa essa ideia e esperamos que outros aconteçam, fiquem a vontade para assistir e deixar os comentários.

0 comentários:

RetroArch - emulador de Playstation, Super Nintendo, Xbox 360, PS3, Wii, Sega e etc


RetroArch Android é um emulador para diversas plataformas de games. Não vem com direitos autorais de BIOS PSX ou qualquer outra que tornaria ilegal sua distribuição. RetroArch está licenciado sob a GPL e mantém boas relações com os autores dos emuladores reais. Qualquer emulador que você vê neste "pack" é compatível com a licença original dos emuladores, e na maioria dos casos, também aprovado pelos autores oficiais e/ou os mantenedores atuais.



RetroArch Reproduz o seguinte tipo de jogos:

- PlayStation 1 (emulador: PCSX Rearmed);
- Super Nintendo (emulador: Snes9x Next);
- Nintendo Entertainment System (emulador: FCEUmm / Nestopia);
- GameBoy / GameBoy Color (emulador: Gambatte);
- GameBoy Advance (emulador: VBA Next);
- Arcade (emulador: Final Gravar Alpha);
- Neo Geo Pocket Color (emulador: Mednafen NGP);
- Virtual Boy (emulador: Mednafen VB);
- Sega Genesis / Mega Drive (emulador: Genesis Plus GX);
- Sega Mestre Game Gear System / Sega (emulador: Genesis Plus GX); 
- Sega CD / Mega CD (emulador: Genesis Plus GX);
- Motor de PC / PC Engine CD (emulador: Mednafen PCE Fast);
- WonderSwan Color / Cristal (emulador: Mednafen Wonderswan );
- Cave Story (motor de jogo: NX Engine);
- Doom 1 / Doom 2 / Ultimate Doom / Doom Final (motor de jogo: prboom).

Características especiais:

- detecção de dispositivos plug and Play, USB, Bluetooth e gamepads;
- retrocesso de jogos em tempo real;
- suporte vértice de shader (leva sua placa de vídeo ao limite);
- sobreposições de telas sensíveis ao toque totalmente personalizáveis;
- Expansível com novos núcleos e a capacidade de fazer seus próprios;
- Totalmente livre, sem anúncios, não coleta dados de estatísticas, sem anúncios.



Feito para você por quem ama a filosofia do software livre. Feito por pessoas que acreditam fortemente que o conhecimento deve permanecer livre (até mesmo em lojas de aplicativos).

disponível para: Linux (x86 e x86_64), Windows (32bit/64bit), Mac OSX (PPC / Intel), Playstation 3 (PS3 SDK/PSL1GHT (WIP)), Xbox 1 (XDK), Xbox 360 (XeXDK / Libxenon), Gamecube, Wii, Raspberry Pi, OpenPandora e Android
página do projeto: libretro.org
Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

MyTourbook - visualização e análise de trajetos percorridos gravados por um dispositivo GPS


MyTourbook é um software open source para visualizar e analisar trajetos que são gravados por um dispositivo GPS. Pode ser de moto, carro, maratona, caminhada ou viagem. Você pode importar, exportar, editar e visualizar estes trajetos/passeios. Visualização de imagens inseridas, análise de freqüência cardíaca, compara passeios automaticamente, análise estatística. Roda em diferentes plataformas.

OBTENDO E INSTALANDO O MYTOURBOOK

0 - certifique-se que você tem máquina virtual JAVA instalado no seu sistema;
1 - faça o download do programa neste link;
2 - abra seu navegador de arquivos e navegue até à pasta do download;
3 - descompacte o arquivo ZIP;
3 - na pasta descompactada clique com o botão direito do rato sobre o arquivo mytourbook. No menu que aparece clique em "propriedades". Na guia "permissão" marque a caixa "permitir execução";
4 - Faça clique-duplo sobre o arquivo mytourbook para executá-lo.

São dezenas de recursos para acompanhamento de suas atividades:


disponível para:
página do projeto: mytourbook.sourceforge.net
Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

Instalar navegador Rekonq 2.0 no Ubuntu


Rekonq é um navegador leve projetado para utilizar o motor de renderização WebKit em combinação com as diversas tecnologias do KDE permitindo uma integração perfeita com o desktop KDE. Nesta postagem mostraremos como instalar o Rekonq no Ubuntu.

INSTALAR REKONQ 2.0 NO UBUNTU

Para instalar o Rekonq 2.0 no Ubuntu utilizaremos o PPA KDE-backports. Portanto basta abrir um terminal (CTRL+ALT+T) e correr os seguintes comandos:

$ sudo add-apt-repository ppa:kubuntu-ppa/backports + enter
$ sudo apt-get update + enter
$ sudo apt-get install rekonq + enter

Ou faça o download neste link.

disponível para:
página do projeto: rekonq.kde.org
Fonte e Creéditos: aqui

0 comentários:

58C/59 Calculator Emulator - calculadora open source para Android


Emulates a 1970s-vintage TI-58/58C/59 é um emulador para a venerável família de calculadoras programavéis que foram fabricados pela Texas Instruments em 1970. Permite carregar, salvar programas, incluir a implementação parcial do módulo mestre original. Código fonte (no GitHub) inclui ferramentas para a construção de seu próprio programa/módulo.


página do desenvolvedor: github.com/ldo/ti5x_android

Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

Checksum Control - GUI para verificar e escrever arquivos checksum


Checksum ou soma de verificação é um código usado para verificar a integridade de dados transmitidos através de um canal com ruídos ou armazenados em algum meio por algum tempo. Este recurso pode facilmente detectar falhas acidentais e integridade dos pacotes. Esta checagem se faz necessário ao baixarmos programas como o CD/DVD da sua distro preferida. Checksum Control é uma GUI para verificar e escrever arquivos checksum de forma amigável.

OBTENDO E INSTALANDO O CHECKSUM CONTROL

0 - faça o download do programa neste link;
1 - abra seu navegador de arquivos e navegue até à pasta do download;
2 - Clique com o botão direito do rato sobre o arquivo baixado. No menu que aparece clique em "Abrir com a Central de Programas do Ubuntu". Aguarde...;
3 - Quando a Central de Programas estiver completamente carregada, clique no botão "Instalar". Aguarde...;
4 - Quando a instalação terminar, feche a Central de Programas.

A interface do programa. Tudo é feito via assistente:


disponível para:
página do projeto: checksumcontrol.sourceforge.net
Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

O conteúdo deste blog/site pode e deve ser divulgado, conforme lei a 9.610/98 meus direitos estão assegurados, portanto eu permito a copia e reprodução gratuita, seja total ou parcial, não acarretando qualquer onûs financeiro aos interessados, porém, vedo o uso para fins lucrativos, toda reprodução para o público deve citar a fonte extraída, no caso o Técnico Linux - O Espaço do Software Livre e seja citada junto com um link para a postagem original, onde a referência deve estar numa fonte de tamanho igual ou maior a do texto, obviamente que os links citados não estão sujeitos ao mesmo termo. O conteúdo textual original desta página está disponível sob a licença GNU FDL 1.2.

Todas as marcas citadas pertencem aos seus respectivos proprietários. Os direitos autorais de todas as ilustrações pertencem aos respectivos autores, e elas são reproduzidas na intenção de atender ao disposto no art. 46 da Lei 9.610 - se ainda assim alguma delas infringe direito seu, entre em contato para que possamos removê-la imediatamente ou ainda lhe dar os devidos créditos.

Copyright © 2016 O Espaço do Software Livre