EnKoDeur-mixeur - ferramenta de pós-produção de vídeo, som e imagem


EnkoDeur-Mixer (EKD) é um ferramenta opensource para produzir vídeos com seus arquivos de imagens, áudios e vídeos numa pós-produção. Ele é multi-plataforma e disponíveis para GNU/Linux, MacOSX e Windows. Foi escrito em Python utilizando PyQt4. É uma ferramenta fácil de usar para processar lote imagens, áudios e arquivos de vídeos. Você pode usar EKD para transcodificar vários formatos de vídeo, como AVI Raw I420, DV, Ogg Theora (. Ogg), 3GP, wmv2, AMV e muitos mais.

Você também pode transcodificar vídeos para a web, codificar HD (em Alta Definição), adicionar filtros, edição de vídeo simples, separar pistas de áudio, converter vídeo para um lote de imagens, criar slidehshow, adicionar tag aos vídeos e assim por diante.


Com EKD, você pode editar imagens, redimensioná-las, convertê-las em outros formatos, criar gifs animados a partir das imagens, renomear imagens em lote, visualizar e salvar os dados em arquivo txt. Em uma ou mais imagens você pode adicionar filtros, multiplicar , inserir transições nas sequências e assim por diante.

No caso de arquivos de áudio, você pode usar EKD para transcodificar arquivos para WAV, MP3, MP2, OGG, FLAC, WMA, M4A, AC3 e AAC. Você pode cortar esses arquivos e até mesmo juntá-los. Você também pode normalizar e converter esses arquivos.

Você pode baixar o pacote DEB do EKD para o Debian e derivado e poderá instalar noUbuntu através da Central de Programas.

INSTALAÇÃO1 - Baixe o programa neste link. Usuários de Windows neste página instruções como baixar e instalar;
2 - Abra o navegador de arquivos na pasta de download;
3 - Clique com o botão direito do mouse sobre o arquivo. Clique em "Abrir com Central de Programas do Ubuntu":


4 - Aguarde. Quando visualizar o botão "Instalar", clique sobre ele:


5 - Quando o processo de instalação estiver concluído, feche a Central de Programas.

Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

Produzindo Animações com Softwares Livres

“Produzindo Animações com Softwares Livres”  é o primeiro livro que trata de produção de animações com softwares livres. Escrito por Ricardo Graça; tem por objetivo apresentar as soluções em softwares livres para a criação de uma animação.
O livro aborda conceitos técnicos como, composição de imagem, iluminação de cenas  e operação dos seguintes softwares livres: Libre Office, Celtx, Inkscape, Gimp, Synfig, Tupi, Audacity, Kdenlive, Blender.
O livro apresenta cada software e mostra como utilizá-lo no processo de produção de uma animação, abordando as técnicas de animação 2D e 3D. 112 páginas. ISBN 978-85-66084-00-9

Este livro é o primeiro de uma série de livros voltados para o mundo da animação.

English Version is coming soon!

Os livros são disponibilizados no esquema “Pague o quanto puder”; porém, para a versão impressa,  o valor mínimo para o livro impresso é de 12,00 para custear a gráfica. Acrescente a este valor(R$ 12,00) o valor do envio pelos correios, que pode ser calculado pelo link encontrado abaixo do formulário. Dados para os correios: Peso: 150g | Dimensões: 14x21cm
Download versão EPUB (377) Download versão PDF (1792)
Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

FlightGear 2.8.0


A versão 2.8.0 do FlightGear está disponível com mudanças que, segundo seus desenvolvedores, fazem o mundo no simulador de vôo open source "mais realista do que nunca". O último grande lançamento suporta texturas específicas da região de terra para fazer visualizações melhores das áreas oferecendo uma visualização diferente aos usuários e dando-os opção de alternar entre texturas do verão e inverno. As árvores em 3D e edifícios estão agora em melhor posição a fim de coincidir com textura do terreno subjacente e em áreas urbanas aos edifícios que agora estão mais densamente colocados para causar uma impressão de cidade mais povoada.


Os desenvolvedores também integraram o seu experimental renderizador Projeto Rembrant que altera a maneira que FlightGear trabalha com luzes, sombras e máscaras. Com ele,F lightGear suporta sombras em tempo real e múltiplas fontes de luz, tais como nos casos de luzes de pouso.




Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

Diversão em HTML5: Brinque com alguns sites que utilizam a tecnologia



O HTML5 é a nova versão da linguagem responsável por formatar as páginas que visualizamos na web. Ela estreou em 2010 prometendo revolucionar a navegação na web e mudar completamente a experiência dos internautas com as páginas. Mas, você sabe o que ela é capaz de fazer? Então dá uma olhada nesses sites que nós separamos que usam o HTML5.

Se você é fã de música, essa página é um bom exemplo do que a nova linguagem pode fazer. Enquanto você ouve a música de fundo da banda Radiohead, o rosto do vocalista Thom Yorke vai se formando aos poucos na tela. Esse é o chamado controle embutido de conteúdo multimídia. O nome parece complicado, né? Mas o que ele faz é eliminar a necessidade de plug-ins e aplicações para os navegadores executarem vídeos ou músicas, por exemplo. Ainda pode ser cedo para afirmar, mas o HTML5 já foi até chamado de "Flash-killer", já que substituiu perfeitamente a função do plug-in da Adobe.

Outra exemplo musical é esse curta metragem ao som da banda Arcade Fire. No começo, basta você digitar o nome de sua cidade natal e esperar carregar. Depois é só assistir o clip com imagens da cidade passando no fundo. O site também mostra como o HTML 5 pode funcionar em várias páginas independentes do navegador e integrá-las como se fossem uma só. Outra página legal que mostra essa função é essa aqui, em que você cria várias janelas e fica jogando uma bola entre elas.

Tem também esse site, que permite que você desenhe o que quiser, com vários tipos de pincéis e uma palheta de cores completa. É só selecionar aqui em cima o tipo de linha que quiser para rabiscar e clicar para escolher a cor. No botão "clear", você pode apagar todo o desenho, ou salvar no seu computador, caso tenha gostado do resultado. Essa página é um bom exemplo de mais um dos elementos da nova línguagem: chamado "canvas", que permite a renderização de imagens em 2D.

O HTML 5 também tem outras funções como gerenciamento de dados offline e o drag-and-drop. Apesar disso, o HTML 5 ainda é uma linguagem em desenvolvimento e a versão definitiva só deve chegar em 2012. E aí, gostou das páginas? Veja esses links que abaixo para mais exemplos do que o HTML5 pode fazer!

Links e Créditos: aqui

0 comentários:

Programa 381 - 19/08/2012

0 comentários:

Programa 380 - 12/08/2012

0 comentários:

X-Box no Ubuntu 12.04 - Configurando Joystick

Fica a dica para os gamers que pretendem usar o controle do X-Box no Precise Pangolin. 

Abra uma janela do terminal, e rode o comando: 

$ sudo apt-get install --install-recommends joystick xboxdrv jstest* 

Informe sua senha e então, aguarde a instalação terminar. 

Logo a seguir, execute o jstest-gtk. 

No menu do GNOME-Shell, fica em: Aplicativos > Ferramentas de Sistema 

Vai abrir uma janela como essa aqui:

Se o seu controle não aparecer neste ponto, é porque o Ubuntu não o reconheceu. Ou, ele não está plugado no computador (eu digo isso porque eu cometi esta burrada ;-). 

Se ele não estiver plugado, conecte-o ao computador e clique no botão "Atualizar". 

Assim que seu controle aparecer na lista, clique nele e em "Propriedades". 

Vai aparecer uma janela como a imagem abaixo:


Você pode alterar o mapeamento dos botões e dos manetes usando o botão "Mapping", enquanto com o botão "Calibration", você calibra seu controle. 

Use os indicadores de funcionamento dos botões e manetes em tempo real para descobrir se há algum botão falhando no seu controle. 

Agora é só se divertir! 

Postado originalmente no vivaolinux por lcavalheiro

0 comentários:

Curso online grátis de desenvolvimento para Android


Está procurando um curso online grátis de desenvolvimento para a plataforma móvel Android? O curso online grátis de desenvolvimento para Android é uma cortesia do The Code Bakers e não possui certificado, mas pode ser um ponto de partida para você começar a criar aplicativos para Android.

CURSO DIVIDIDO EM 11 LIÇÕES

Lição 7: Menus e estilos;
Lição 8: Temas e imagens;
Lição 9: Listas;

DÚVIDAS?
Em caso de dúvidas entre na página de fóruns, se registre e procure o fórum específico do seu curso.


Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

Configurar o APT via proxy no Ubuntu

Quando não se usa proxy transparente, você é obrigado a configurar manualmente cada servidor/estação de trabalho para poder utilizar o APT e baixar/instalar seus pacotes pelo nosso tão conhecido apt-get ou aptitude. No Ubuntu configuramos da seguinte maneira:

Edite/crie o arquivo /etc/apt/apt.conf.d/02proxy
 
# touch /etc/apt/apt.conf.d/02proxy
# nano -w /etc/apt/apt.conf.d/02proxy


Insira o seguinte script, caso o proxy não exija autenticação: 
 
Acquire { HTTP::proxy "http://servidor-proxy:porta"; 
FTP::proxy "http://servidor-proxy:porta"; }

Se o proxy exige autenticação: 
 
Acquire { HTTP::proxy "http://usuario:senha@servidor-proxy:porta"; 
FTP::proxy "http://usuario:senha@servidor-proxy:porta"; }

0 comentários:

Como instalar AMD Catalyst 12.8 no Ubuntu 12.04/Linux Mint 13 (via PPA)

 
 
A AMD lançou a versão 12.8 do seu driver Catalyst para sistemas GNU/Linux recentemente trazendo algumas melhorias e correções de bugs. Este driver é baseado na versão fglrx 8.982 e melhora o suporte para o Ubuntu LTS 12.04. Vamos ajudá-lo a instalar o condutor AMD Catalyst 12.8 no Ubuntu e Linux Mint.

DESINTALAÇÃO DO DRIVER ANTIGO
 
$ sudo sh /usr/share/ati/fglrx-uninstall.sh
$ sudo apt-get remove --purge fglrx fglrx_* fglrx-amdcccle* fglrx-dev* xorg-driver-fglrx


INSTALAÇÃO VIA PPA
 
$ sudo add-apt-repository ppa:xorg-edgers/ppa
$ sudo apt-get update
$ sudo apt-get install fglrx-installer
$ sudo apt-add-repository -r ppa:xorg-edgers/ppa


INSTALAÇÃO DO CATALIST 12.8

$ cd /tmp && wget -O amd-driver-installer-12-8-x86.x86_64.zip http://goo.gl/ZZkYR
$ unzip amd-driver-installer-12-8-x86.x86_64.zip
$ chmod +x amd-driver-installer-8.982-x86.x86_64.run
$ sudo sh amd-driver-installer-8.982-x86.x86_64.run


Quando você terminar a instalação, execute o comando:

$ sudo aticonfig --initial -f

Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

Professor constrói laboratório de informática sem gastar nada


Todos envolvidos com educação sabem da dificuldade de montar e manter funcionando um laboratório de informática sem gastos elevados para a entidade de ensino. Um professor americano, Robert Litt, utilizando computadores reciclados e software livre conseguiu colocar em prática seu projeto pedagógico nos EUA. Ele é um fã de tecnologia e acredita que ela é uma parte importante da educação de seus alunos. Em 2007, Robert adquiriu 18 computadores doados. Mas esses computadores estavam num estado pior do que ele esperava. Os sistemas operativos instalados eram lentos demais para aquelas máquinas. Alguns computadores tinham vírus ou malware. Os alunos ficaram frustrados.


A maioria dos problemas dos computadores poderiam ser corrigidos limpando-se os discos e reinstalando o sistema operacional, mas a compra de um novo software para cada computador doado seria proibitivamente caro. Então, Robert começou a pesquisar as opções mais acessíveis. Um amigo que trabalhava com computadores sugeriu que ele usasse um sistema operacional livre, entre váras opṍes sugeriu o GNU/Linux . Como nunca tinha se aventurado no mundo do software open-source, Robert mergulhou na internet para obter ajuda. Ele foi acolhido por um grupo de usuários de GNU/Linux, um grupo amigável de pessoas dedicadas a ajudar aqueles que estão começando a trabalhar com software livre.

Com a ajuda recebida foi instalando o GNU/Linux em suas 18 máquinas doadas. A diretora viu animada e os alunos também. A escola decidiu dar a Robert quatro horas de licença de ensino por semana para que ele tivese tempo para encontrar mais computadores para deixar seu laboratório mais completo. E assim, Robert tornou-se um "professor em missão especial", como ele mesmo diz.

"Os computadores descartados são o nosso recurso de ensino mais desperdiçados".

"Eu criei um laboratório de informática, sem dinheiro, com softwares amigáveis e funcionais. Usei computadores reciclados e eles funcionam bem com software livre. Eu fiz tudo isso dedicando 4 horas semanais de trabalho".

"O que eu fiz pode ser reproduzido em qualquer escola que seja carente de recursos. Se sua escola deseja ter laboratórios de informática e de ensino de base tecnológica e você não dispõe de nenhum dinheiro , leia o meu artigo abaixo e adote o modelo.


fontes

0 comentários:

Como deixar seu Ubuntu mais rápido



Por Julian Fernandes em 12 de junho de 2012


O Ubuntu é um sistema operacional rápido por padrão, mas há formas de deixa-lo ainda melhor e fazê-lo aproveitar melhor os recursos do seu hardware, algo que pode dar um boost de performance considerável, especialmente em computadores antigos.

Na busca pelo presente perfeito para o dia dos namorados, me peguei olhando para algumas peças velhas e computadores antigos que possuo jogados pelo quarto e para o computador da minha namorada, com um Pentium 4, uma placa gráfica integrada da SiS e apenas 512 megabytes de memória. Pensei comigo: “Porque não usar algumas peças antigas e montar um computador melhor para ela?“.

Presente perfeito para o dia dos namorados? Um computador com Ubuntu é claro! (:

Acabei montando um computador modesto, mas ainda assim, melhor do que ela possuía. As configurações finais ficam assim:

Processador: Intel Core 2 Duo 2.0 GHz;
Memória RAM: 1 gigabyte DDR2 800 GHz Kingstom;
Placa de vídeo: Integrada da VIA.

Como eu disse, configurações modestas, mas melhores do que as que ela tinha. Fiz a instalação do Ubuntu 12.04 “Precise Pangolin“ temendo que o Unity não funcionaria com a placa integrada, mas para minha surpresa, o Ubuntu iniciou com o Unity 2D e tudo funcionou de forma rápida, utilizando cerca de 300 megabytes de memória RAM. A performance do sistema estava muito boa, mas porque se contentar com algo bom se podemos ter algo excelente, certo?

Abaixo você confere algumas dicas para deixar seu Ubuntu ainda mais rápido, independente do seu hardware. As dicas também servem para as variantes do sistema operacional laranja, como o Lubuntu, Xubuntu e Kubuntu. Pronto para dar vida nova ao seu computador? Vamos lá então!

Deixando o Ubuntu mais rápido

Instale a última versão do kernel disponível

Atualizações de kernel costumam dar uma nova vida ao seu hardware (ou mata-lo de vez). Se o Ubuntu lhe ofereceu uma atualização de kernel via Gerenciador de Atualizações, faça essa atualização. Novas versões corrigem bugs, trazem novos recursos e melhoram a performance do seu hardware.


Kernel Ubuntu 3.4 instalado no Ubuntu 12.04 com perfeição

O Kernel Ubuntu 3.4, lançado a algumas semanas por exemplo, trouxe uma melhora considerável para usuários com placas de vídeo integradas da Intel, e o Kernel Linux 3.5 promete melhorar consideravelmente a performance de placas de vídeo da ATI.

Instale drivers de vídeo otimizados e atualizados

Drives de vídeo mais novos costumam trazer melhorias, correções de bugs e melhoras na performance, que é o que estamos buscando. Tente manter seus drivers sempre atualizados, sejam eles da empresa que for.

Existe um repositório PPA que além de trazer drivers open source atualizados, ainda os otimiza, trazendo um ganho de performance considerável. Se você estiver usando uma placa de vídeo da SiS, VIA ou Intel, recomendo fortemente que adicione esse repositório em seu sistema e faça as atualizações propostas por ele.

Mantenha os drivers da sua placa de vídeo sempre atualizados

Para adicionar o PPA abra o terminal com o comando <Ctrl+Alt+T> e digite o comando abaixo:

$ sudo add-apt-repository ppa:oibaf/graphics-drivers && sudo apt-get update && sudo apt-get dist-upgrade

Agora reinicie seu sistema e a performance deve estar melhorada. Alguns problemas que você provavelmente tinha também devem ter sido corrigidos, o que é ótimo, não acha?

Se você possui uma placa de vídeo da ATI ou NVidia, tente ficar de olho nos sites oficiais das empresas para fazer download das atualizações. Mas cuidado: sempre leia as notas da versão para ter certeza de que sua placa é realmente suportada pelo novo driver, visto que a ATI por exemplo, costuma deixar de suportar seus hardwares de tempos em tempos.

Instale o Preload

O Preload é um serviço que roda em background e monitora os softwares que você usa no seu computador, aprendendo quais aplicativos você costuma usar e carregando-os na memória antes de você abri-los, deixando a inicialização do software muito mais rápida.

O serviço não é instalado por padrão no Ubuntu, mas virá instalado na nova versão do elementaryOS, distribuição baseada no Ubuntu que tem um lugar especial no meu coração devido a sua velocidade e extrema beleza.

Para fazer a instalação do Preload no Ubuntu, abra o terminal com o atalho <Ctrl+Alt+T> e digite o comando abaixo:

$ sudo apt-get install preload

Agora… bom, era só isso mesmo. O serviço rodará em background como falei anteriormente, portanto você não precisa fazer mais nada.

Troque a Swap por zRam

Já falei anteriormente sobre como melhorar a performance do Ubuntu com zRam, mas vale a pena dar uma conferida novamente. O zRam aumenta a performance ao evitar a paginação de disco usando um dispositivo de bloco comprimido na memória RAM, que fica responsável pela paginação, até quando for necessário usar o espaço swap no disco rígido. Em outras palavras, ele usa esse dispositivo de bloco comprimido na memória RAM para paginação ao invés de usar primeiro a paginação em disco propriamente dita (obrigado Tiago!).

Para fazer a instalação do zRam no Ubuntu, abra o terminal com o atalho <Ctrl+Alt+T> e digite o comando abaixo:

$ sudo add-apt-repository ppa:shnatsel/zram && sudo apt-get update && sudo apt-get install zramswap-enabler -y

Como o suporte ativo, basta aproveitar o ganho em performance. Por experiência própria, em máquinas com mais de 1 gigabyte de memória RAM os ganhos não serão tão perceptíveis, mas com máquinas com 1 gigabyte ou menos os ganhos são quase monstruosos, o que me faz perguntar porque cargas d’água a Canonical não deixa o recurso ativo por padrão no Ubuntu.
Desative serviços que inicializam junto com o sistema

Inúmeros softwares e serviços iniciam junto com o seu sistema operacional, independente de qual você usa. Desativar alguns pode diminuir o tempo que seu computador leva para tornar-se utilizável e diminuir o consumo de memória RAM.

Por padrão todos esses softwares e serviços criam uma entrada no menu Aplicativos de sessão, mas a partir do Ubuntu 12.04 essas entradas são ocultas, impossibilitando a desativação dos mesmos. Como no mundo Linux tudo é customizável, essa decisão da Canonical também é, então vamos tornar as entradas visíveis para desativar o que não usamos.

Abra o terminal com o comando <Ctrl+Alt+T> e digite o seguinte comando no terminal:

$ sudo sed -i "s/NoDisplay=true/NoDisplay=false/g" /etc/xdg/autostart/*.desktop

Agora que todas as entradas estão visíveis, clicar no ícone da engrenagem no canto superior direito do seu desktop e depois em Aplicativos de sessão. Desative serviços que você não usa, mas tome cuidado para não desativar serviços ou softwares importantes para o sistema. Se você não sabe o que determinado serviço faz, não o desative.

Desative softwares que inicializam junto com o sistema operacional

Alguns exemplos de entradas que desativei no computador da minha namorada:

Agente de chaves SSH: só faço login via SSH nos meus servidores usando meu notebook, e ela com certeza não precisa disso;

Bate-papo: entrada do Empathy. Porque iniciar o software junto com o sistema se, assim como eu, ela prefere usar o GTalk no próprio Gmail?

Compartilhamento da área de trabalho: serviço que, pessoalmente, nunca uso e duvido que ela usará;

Compartilhamento de arquivos pessoais: todos os nossos arquivos ficam no meu notebook, e não pretendemos compartilhar arquivos de mais do que alguns kilobytes entre os computadores, o que pode facilmente ser resolvido usando um pendrive;

Gerenciador Bluetooth: o computador que montei pra ela não tem bluetooth, então não há motivos para deixar esse serviço rodando;

Gwibber: o Gwibber come recursos da máquina do mesmo jeito que o Homer toma cerveja, então com certeza fica de fora. De qualquer forma, ela prefere a interface web do Twitter e o Polly, um ótimo cliente para Twitter;

Monitor de cópia de segurança: como todos os arquivos importantes ficam no meu notebook e meus backups são sincronizados com o Ubuntu One, não precisamos de backups no computador dela;

Onboard e Orca screen reader: dois serviços que ela também não precisa, felizmente;

Protetor de tela: sempre achei protetores de tela um saco e ela também não gosto, então serviço desativado;

Ubuntu One: o serviço de sincronização de arquivos na nuvem da Canonical é ótimo, mas não há necessidade de inicia-lo junto com o sistema (ou sequer instala-lo) em um computador que não tem nada para sincronizar;

Verificar novos drivers: todos os componentes deste computador possuem drivers open source, então não há necessidade para os drivers adicionais. Caso eu venha a adicionar uma placa de vídeo (e vou, para ela jogar Ryzom comigo) mais tarde, o serviço é facilmente inicializável usando o dash do Unity.

Lembrando que para desativar uma entrada você deve desmarcar a caixa ao lado dela :)

Use uma interface gráfica mais leve

O Unity deve rodar muito bem caso você tenha 1 gigabyte de memória RAM e pelo menos um processador dual core como é o caso do computador da minha namorada, mas se você ainda tiver um single core e menos de 1 gigabyte de RAM, provavelmente o Ubuntu ficará um pouco pesado para sua máquina.

Lubuntu 12.04: visual mais simplista, mas consome bem menos recursos da sua máquina

Nesses casos você pode considerar usar interfaces gráficas mais leves, como o LXDE e o XFCE, ou até mesmo usar distribuições alternativas que já usam essas interfaces, como é o caso do Lubuntu e do Xubuntu. Para vocês terem uma ideia, o Lubuntu usa apenas 130 megabytes de memória em uma instalação padrão, um número bem atraente.

Você também tem a opção de usar o Gnome Classic no Ubuntu 12.04, quase da mesma forma que era até o Ubuntu 11.04. A interface não é tão leve como o LXDE, mas é mais leve que o Unity.

Use softwares que exigem menos do seu hardware

Da mesma forma que usar uma interface gráfica mais leve pode ajudar, usar softwares que exijam menos do seu hardware também irá ajudar consideravelmente. Se você só usa o LibreOffice de vez em quando para digitar um texto ou escrever um trabalho de escola, que tal substitui-lo pelo Abiword por exemplo? Você terá menos recursos, mas isso não irá importar porque o que você precisa estará lá. Você pode até abolir esses softwares e usar o Google Docs.

Que tal substituir o LibreOffice pelo Google Docs, como eu faço?

Ao invés do Google Chrome ou do Firefox você pode usar o Midori, um navegador web bastante leve, com recursos bem interessantes e muito rápido. Você pode encontrar alternativas mais leves para quase qualquer software disponível no Ubuntu, basta googlar um pouco :)

Dica de ouro: use a cabeça para pensar

A última dica é provavelmente a mais importante: use sua cabeça para pensar, não apenas para segurar seus cabelos. Vejo muitos usuários reclamando do Ubuntu simplesmente porque a versão mais nova, lançada em 2012, não roda em seu computador do tempo em que a Hebe era virgem. Usem a cabeça pessoal, estamos falando de um sistema operacional de 2012, é claro que ele exigirá mais do seu hardware do que sistemas operacionais mais antigos.


Fiquem ligados hein? Todos sabem que o Yoda não mente

Já que estamos usando a cabeça para pensar, que tal desinstalar aquelas 150 extensões do Google Chrome e Firefox que você tem instalado e não usa? Extensões também consomem memória RAM e processamento, então se você não usa alguma, desative-a. Você realmente precisa daquela extensão que lhe mostra os últimos tweets as custas de 100 megabytes de memória RAM? Usar a interface web não é tão ruim assim.

E finalmente, deixe a preguiça de lado e faça as atualizações do Ubuntu. Tenho certeza de que muitos usuários não o fazem e não sabem que com atualizações, ganhos em performance podem aparecer. Vocês sabiam que o Unity 5.12 corrigiu os erros de performance OpenGL? Pois é, quem atualizou ganhou inúmeros FPSs a mais em seus aplicativos OpenGL, como os games do último Humble Bundle por exemplo.

Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

DebianDay em Volta Redonda - dia 18 de Agosto de 2012

A alguns anos, nós do Grupo de Usuários do Sul Fluminense e também do GUD-RJ realizamos o Dia Debian no estado, este ano o evento será em Volta Redonda no campus da UGB e será no dia 18 próximo ( o sábado mais próximo do dia 16 que é o aniversário do Debian).

As palestras do evento são:
08:30
Abertura
09:00
Debian, vamos dominar o universo!
10:00
Projeto VRLivre ( Giany Abreu e Sergio Graças).
11:00
Licenças de Software (Rodrigo Pançardes).
13:00
Introdução ao Python (Flávio Amieiro).
14:00
Kivy - Desenvolvimento rápido de aplicações que fazem udo de interfaces de usuário inovadoras. (Diego Moreira Guimarães).
15:00
Replica Sets: Replicação e Failover com MongoDB (demonstração prática) (Eduardo Maçan).
16:00
Arduíno: Robótica com hardware e Softwares Livres ( Álvaro Justen)

O Centro Universitário Geraldo Di Biase está localizado na Rua Deputado Geraldo Di Biase, nº 81 - Aterrado - Volta Redonda - Rio de Janeiro

0 comentários:

O que há de novo no LibreOffice 3.6?

Pequenas mudanças visuais. Ou seriam grandes?

Além de várias mudanças e novidades de baixo do capô, o LibreOffice 3.6 traz uma nova splash screen, aquela tela que aparece no carregamento do software. A imagem foi selecionada em um concurso e possui um visual esverdeado, como pode ser visto abaixo:

Apesar de não gostar de verde, achei a nova tela inicial bastante agradável aos olhos

Outras partes do software que receberam esse novo tema esverdeado foram as páginas sobre e a página inicial, onde você escolhe se quer escrever um texto, começar uma planilha, criar uma apresentação e etc. Mudanças sutis, mas bem interessantes.

Além das novidades acima, a interface também recebeu pequenas mudanças. As réguas foram redesenhadas e estão com um visual mais limpo e mais leve. Os temas GTK (padrão do Ubuntu) agora são capazes de exibir gradientes no plano de fundo, oferecendo um visual mais consistente com o sistema.

Interface do LibreOffice também recebeu pequenas mudanças (Créditos: iloveubuntu)

Infelizmente os ícones continuam os mesmos, algo que sempre me irritou no LibreOffice. As grandes mudanças visuais que muitos esperavam, ainda não chegaram, mas é interessante notar que a The Document Foundation está trabalhando para corrigir algumas pequenas coisas pelo menos.
Mudanças nos aplicativos da suíte

O Writer, editor de texto do LibreOffice, recebeu poucas melhorias notáveis. Uma mudança interessante é a contagem de palavras, que funciona tanto para o que você está escrevendo quanto para algo que você selecionou. Útil para quem trabalha com SEO por exemplo, visto que pode-se contar quantas palavras seu texto possui.

Outra adição ao editor de texto é o suporte para importação de Smart Arts do Microsoft Office. Ainda sobre o Microsoft Office eLibreOffice, a importação de arquivos .docx agora lida com os campos GetExpression e SetExpression.

Quanto ao Calc, o editor de planilhas da suíte, creio que a novidade mais significativa seja a melhoria no desempenho das tabelas dinâmicas, que devem ficar até 50% mais rápidas do que na versão anterior.

O Impress também recebeu novidades, e agora trás dez novos modelos para apresentações, os quais você pode ver abaixo:

Novos modelos do LibreOffice Impress

No mais, a suíte inteira teve melhorias na rolagem, redesenho e edição interativa de documentos grandes, além de melhorias gerais na performance e inúmeras correções de bugs. A atualização deve estar disponível nos repositórios oficiais do Ubuntu em poucos dias, então fique de olho nas atualizações do sistema.

O que vocês acharam dessa versão? Melhorou um pouco a interface ou foram só mudanças bobas? Como prefiro o Google Docs e não uso muito o LibreOffice, não sei dizer, então quero ler a opinião de vocês. Deixem seus comentários abaixo, por favor! (:

0 comentários:

GIMP - 2 horas de tutoriais em vídeo

2 horas de tutoriais em vídeo:
Ferramentas, retoques,tratamento, cores, camadas e filtros.

(637.4 Mb | DepositFiles)

Na pasta compactada estão todos os arquivos do CD. Usuários de GNU/Linux podem extrair o arquivo e assistir o vídeo que está na pasta movies. Winusers podem descompactar e gravar o conteúdo da pasta em um CD ou executá-lo. A capa e a etiqueta do CD (em 300 dpi) estão dentro da pasta raiz.

Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

Epoptes - Gerênciador de Laboratório


Fiz o teste no Linux Educaional 3.0, e não tive exito, pois não há versão do epoptes para versão hardy (versão do LE 3.0), consegui instalar apenas nos clientes, uma dica, para os que querem continuar usando LE 3.0, vc pode mudar o sistema para o LE 4.0, por exemplo, apenas no servidor, que foi onde eu não consegui instalar o epoptes, e deixar as máquinas dos alunos no 3.0, é uma dica. Ou pode mudar todas as máquinas para o le 4.0.

Primeiramente vc deve adicionar o PPA do epoptes, em terminal digite o comando seguinte:

$ sudo apt-add-repository ppa:oiteam/proinfo-71.2010
(substitua 71.2010 por 83.2008, dependendo do seu pregão)

Caso não consiga adicionar o PPA leia este post:


NO SERVIDOR 
sudo apt-get update
$ sudo apt-get install epoptes
$ sudo gpasswd -a SEUUSUÁRIO epoptes

Obs.: Em SEUUSUARIO, coloque o nome do usuário que vc utiliza no servidor. no meu caso é professor. 

Agora vc precisa pegar o nº IP do servidor: ainda no terminal digite ifconfig e anote o nº de IP que está no campo inet end, pois será usado nos clientes(alunos)

Obs: É aconselhável definir IP fixo no servidor, para isto faça o seguite:

Definindo IP fixo no Servidor (LE 4.0) 
- Na barra inferior, clicar no ícone de conexões > Editar conexões; 
- Na guia 'Sem fio' selecionar a rede (proinfo) e clicar ao lado, em 'Editar'; 
- Na guia 'Configurações IPv4 alterar 'Método' para 'Manual'; 
- Em 'Endereços' clicar ao lado em 'Adicionar'. 
- Preencher 'Endereço' com 192.168.0.x, onde x é um numero de 1 à 253; depois 'Mascara de sub-rede' com 255.255.255.0; e, por último, 'Gateway' com 192.168.0.1. 
- Click em salvar e pronto! - Reiniciar a máquina para as alterações terem efeito.


NOS CLIENTES 

sudo apt-get update
$ sudo apt-get install epoptes-client 
$ sudo kate /etc/default/epoptes-client

Obs.: atenção, caso vc não consiga abrir o arquivo, vc precisa instalar o kate, basta digitar no terminal mesmo: sudo apt-get install kate) e tentar novamente sudo kate /etc/default/epoptes-client, salve as alterações

No arquivo que se abriu apagar o # antes do nome SERVER e substitua o valor depois do = pelo IP do servidor que vc anotou, no meu ficou assim

SERVER=192.168.0.100

Ainda no terminal para obter os certificados digite: sudo epoptes-client -c

REINICIE A MÁQUINA, vc já pode abrir o epoptes no servidor e visualizar as máquinas, iniciar>extras>epoptes.

Obs: O PPA utilizado neste post foi disponibilizado por Laércio de Souza no fórum do Le 4.0

2 comentários:

A Casa dos Numeros – AIDS



O que é o HIV? O que é a SIDA? Que está sendo feito para curá-la? Estas perguntas motivaram o cineasta canadense Brent Leung a fazer uma viagem por todo o mundo, desde os mais conceituados cientistas até ás favelas da África do Sul onde a morte e a doença são a ordem do dia. Neste documentário, ele observa que, apesar da AIDS ter sido notícia de primeira página por mais de 29 anos, ela é mal compreendida. Apesar do grande esforço, tempo e dinheiro gasto, nenhuma cura está à vista.

Nascido em 1980 (no auge da epidemia), Leung revela uma comunidade cientifica em desacordo, e uma política de saúde tragicamente desorientada. Tendo acesso a uma notável variedade das figuras mais proeminentes e influentes no campo, entre eles os co-descobridores do HIV, assessores presidenciais, prêmios Nobel, o Diretor Executivo do UNAIDS, assim como sobreviventes e ativistas, verifica que as suas visões restritas produzem surpreendentes revelações e contradições desconcertantes.

A história do HIV / AIDS está sendo reescrita, e este é o primeiro filme a apresentar as opiniões livres de praticamente todos os principais intervenientes , em suas próprias configurações, em suas próprias palavras. Ele abala os fundamentos sobre os quais toda a sabedoria convencional em relação ao HIV / AIDS é baseada. Se, como o Médico sul-africano Pephsile Maseko afirma, "este é o começo de uma guerra ... uma guerra para recuperar a nossa saúde", então "Casa dos Números" poderia muito bem ser o pontapé inicial na batalha para trazer a sanidade e a clareza para um epidemia que está claramente distorcida."

UPLOAD PATROCINADO POR:
NOVACOMUNIDADE.org - O MODELO COOPERATIVO FAMILIAR
MDDVTM.org - MOVIMENTO DE DEMOCRACIA DIRECTA VTM
"Tudo que o homem não conhece não existe para ele. Por isso o mundo tem, para cada um, o tamanho que abrange o seu conhecimento."
(Carlos Bernardo González Pecotche)

0 comentários:

O conteúdo deste blog/site pode e deve ser divulgado, conforme lei a 9.610/98 meus direitos estão assegurados, portanto eu permito a copia e reprodução gratuita, seja total ou parcial, não acarretando qualquer onûs financeiro aos interessados, porém, vedo o uso para fins lucrativos, toda reprodução para o público deve citar a fonte extraída, no caso o Técnico Linux - O Espaço do Software Livre e seja citada junto com um link para a postagem original, onde a referência deve estar numa fonte de tamanho igual ou maior a do texto, obviamente que os links citados não estão sujeitos ao mesmo termo. O conteúdo textual original desta página está disponível sob a licença GNU FDL 1.2.

Todas as marcas citadas pertencem aos seus respectivos proprietários. Os direitos autorais de todas as ilustrações pertencem aos respectivos autores, e elas são reproduzidas na intenção de atender ao disposto no art. 46 da Lei 9.610 - se ainda assim alguma delas infringe direito seu, entre em contato para que possamos removê-la imediatamente ou ainda lhe dar os devidos créditos.

Copyright © 2016 O Espaço do Software Livre