Criando documentos em PDF editável no LibreOffice

O PDF (Portable Document Format) foi criado com o intuito de, como o nome já diz, ser um formato de arquivo de fácil acesso nas diversas suítes de escritório existentes. Existem diversas soluções para edição de arquivos em PDF, tanto online quanto em aplicações, mas, na grande maioria dos casos, as aplicações que leem PDF não tem a capacidade de editá-los. Porém nós, que usamos o LibreOffice, além de podermos criar arquivos em PDF de forma muito, mas muito fácil mesmo, ainda podemos criá-los de forma editável! (O Que?!?! Isso mesmo, editáveis! rsrs)
Bom gente, a dica é simples, apesar de desconhecida pela grande maioria dos usuários do LibreOffice. Vamos lá:
1- Abra o seu LibreOffice, crie seu documento normalmente e clique em “Arquivo” -> “Exportar como PDF”.
2- Na janela que será aberta, marque a opção “Incorporar arquivo OpenDocument – Torna este PDF facilmente editável no LibreOffice”
3- Após isso, clique em “Exportar”
Pronto! Agora abra o PDF que você criou no LibreOffice e veja que agora você poderá editá-lo.
ATUALIZAÇÃO
Caso o seu LibreOffice, ao tentar abrir o PDF editável, aparece uma página cheia de códigos ilegíveis, instale o pacote libreoffice-pdfimport. No Ubuntu, rode o seguinte comando:
sudo apt-get install libreoffice-pdfimport
Reinicie seu LibreOffice (o ideal é dar o comando pkill soffice para ter certeza que o LibreOffice foi encerrado) e abra o PDF editável normalmente.
Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

F-Droid: um Market Android só com aplicativos gratuitos e livres


Muitas das aplicações que rodam no Android não são livres, mesmo aqueles que são incluídos por padrão, tais como o próprio Market do Android. A ideia do repositório FDroid é ser um market alternativo para o Android, somente com aplicativos gratuitos e livres.
A aplicação é bem desenhada e realmente mostra que os softwares são realmente livres, porque ao lado de cada aplicativo se pode ver a licença de seu código. Ele consiste em três guias: no primeiro separador encontramos a lista de todas as aplicações disponíveis. Na segunda guia irá aparecer as que você tem instalado, inclusive as do Market oficial e também do F-Droid. A terceira guia irá informar-nos sobre as atualizações que estão disponíveis para as nossas aplicações.
Como se trata de um market “não oficial”, precisamos instalá-lo manualmente através deste link

0 comentários:

GIMP - Como dividir uma foto em várias partes


Alguns efeitos relativos a edição de fotos são muito famosos, dentre estes estão a subdivisão de fotos, aquele efeito em que você pega uma imagem e a divide em vários quadradinhos de tamanhos diferentes ou iguais.

Reproduzir este tipo de efeito é muito simples, você utilizar para isso o GIMP que é um programa totalmente gratuito que pode ser baixado facilmente, e como o GIMP é altamente customizavel adicionar a ele um “plugin” ou script que faça essa função.

Aqui mencionamos o script chamado de image subdivide.scm, ele vai cortar sua imagem em N linhas x N colunas e salvar arquivos em cada porção. Ou seja sua foto vira vários arquivos e para remonta-la você organiza estes arquivos conforme a sua vontade. O resultado é como apresentado abaixo:

Cada parte da imagem é renomeada, adicionando o nome do arquivo e o número da linha da coluna a que pertence.

Depois de baixar e descompactar o script image subdivide.scm você deve copia-lo para a pasta: \home\usuario\.gimp\scripts\ ou equivalente no idioma em que seu GIMP estiver instalado.

Depois de instalar você tem de chamar o script no menu: Ferramentas/Subdivide Image

Uma vez ativado você vai escolher o número de linhas e número de colunas em que você quer dividir a imagem.

Por padrão as porções das imagens são salvas no formato xcf que é o formato do GIMP, opcionalmente, você pode optar por salvar nos seguintes formatos: jpeg, jpg, bmp, tif, tga e GIF.

Depois de definir os valores desejados, a imagem é automaticamente dividida, convertida e salva em arquivo.

Para obter o script e dividir quantas imagens você quiser vá em image subdivide ou clique aqui

Fonte e Créditos: aqui

1 comentários:

Xorg para SIS 671-672



Section "ServerLayout"
    Identifier     "X.org Configured"
    Screen      0  "Screen0" 0 0
    Screen      1  "Screen1" RightOf "Screen0"
    InputDevice    "Mouse0" "CorePointer"
    InputDevice    "Keyboard0" "CoreKeyboard"
EndSection
Section "Files"
    ModulePath   "/usr/lib/xorg/modules"
    FontPath     "catalogue:/etc/X11/fontpath.d"
    FontPath     "built-ins"
EndSection
Section "Module"
    Load  "extmod"
    Load  "dbe"
    Load  "dri2"
    Load  "dri"
    Load  "glx"
    Load  "record"
EndSection
Section "InputDevice"
    Identifier  "Keyboard0"
    Driver      "kbd"
EndSection
Section "InputDevice"
    Identifier  "Mouse0"
    Driver      "mouse"
    Option      "Protocol" "auto"
    Option      "Device" "/dev/input/mice"
    Option      "ZAxisMapping" "4 5 6 7"
EndSection
Section "Monitor"
 ### Comment all HorizSync and VertSync values to use DDC:
        Identifier   "Monitor0"
        ModelName    "LCD Panel 1280x800"
 ### Comment all HorizSync and VertSync values to use DDC:
        HorizSync    31.5 - 50.0
        VertRefresh  56.0 - 65.0
        Option      "dpms"
EndSection
Section "Device"
        Identifier  "Videocard0"
        Driver      "vesa"
        BusID       "PCI:1:0:0"
EndSection
Section "Screen"
    Identifier "Screen0"
    Device     "Card0"
    Monitor    "Monitor0"
    SubSection "Display"
        Viewport   0 0
        Depth     1
    EndSubSection
    SubSection "Display"
        Viewport   0 0
        Depth     4
    EndSubSection
    SubSection "Display"
        Viewport   0 0
        Depth     8
    EndSubSection
    SubSection "Display"
        Viewport   0 0
        Depth     15
    EndSubSection
    SubSection "Display"
        Viewport   0 0
        Depth     16
    EndSubSection
    SubSection "Display"
        Viewport   0 0
        Depth     24
    EndSubSection
EndSection
Section "Screen"
    Identifier "Screen1"
    Device     "Card1"
    Monitor    "Monitor1"
    SubSection "Display"
        Viewport   0 0
        Depth     1
    EndSubSection
    SubSection "Display"
        Viewport   0 0
        Depth     4
    EndSubSection
    SubSection "Display"
        Viewport   0 0
        Depth     8
    EndSubSection
    SubSection "Display"
        Viewport   0 0
        Depth     15
    EndSubSection
    SubSection "Display"
        Viewport   0 0
        Depth     16
    EndSubSection
    SubSection "Display"
        Viewport   0 0
        Depth     24
    EndSubSection
EndSection

0 comentários:

Utilizando o Aptitude


Atualiza listas de pacotes:

# aptitude update 

Atualiza sistema: 

# aptitude safe-upgrade 

Pesquisa de pacotes: 

# aptitude search pacote 

Instala pacotes: 

# aptitude install pacote 

Instala mais de um pacote: 

# aptitude install pacote pacote2 pacote3 

Remove deixando arquivos de configuração no PC: 

# aptitude remove pacote

Remove completamente: 

# aptitude purge pacote

Limpa todo o cache do Aptitude: 

# aptitude clean

Remove os ficheiros de pacotes de versões ultrapassadas existentes em cache, mas mantém os pacotes de versões atualizados:

# aptitude autoclean

Verifica se um pacote esta instalado:

# aptitude show pacote

Verifica versão do pacote no repositório:

# aptitude versions pacote

Manual do Aptitude:

# man aptitude

Reinstala pacote (muito útil para voltar à configuração original): 

# aptitude reinstall pacote 

A grande diferença entre os dois é que o controle de dependências dos pacotes que é melhor no Aptitude do que o do apt-get.

O Aptitude resolve melhor as dependências e também guarda a lista delas.

Isso faz diferença na hora de desinstalar algum programa: como a lista de dependência do Aptitude esta guardada ele desinstala tudo.

0 comentários:

Você conhece o eViacam?

O eViacam é um programa de acessibilidade que permite controlar o mouse com os movimentos da cabeça. Instalei ele com a intenção de saber como é utilizar o mouse sem usar as mãos. Confesso que tive dificuldade ao manobrar o cursor na tela, mas não pela ineficiência do programa, mas sim por falta de treinar mais, pois em poucos minutos consegui pegar o jeito e ter mais facilidade ao executar tarefas comuns.
Mesmo sendo pra mim quase que uma brincadeira, foi muito importante pois, eu realmente não conhecia essa ferramenta que tem a capacidade de ajudar tanto as pessoas. Pense em quem não consegue nem mudar de canal na  utilizando um , poder utilizar um computador simplesmente utilizando uma ?
A instalação
A instalação do programa é bem simples.
 do eViacam: 
Para instalar o eViacam, entre no gerenciador de pacotes de sua distribuição e instale os seguintes pacotes.
• python-wxtools
• wx2.8-i18n
• libwxgtk2.8-dev
• libgtk2.0-dev
• libcvaux-dev
• libhighgui-dev
• python-wxgtk2.8
• libcv-dev
• libXext-dev
• libxtst-dev
Baixe então o eviacam eviacam_1.4.1.orig.tar.gz e execute os seguintes comandos como root.
tar -zxvf eviacam_1.4.1.orig.tar.gz
 eviacam-1.4.1/
./configure
make
make install
Caso apareça alguma dependência ao executar ./configure, é só ir até o gerenciador de pacotes e baixa-la.
Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

Criando sua própria “nuvem” com OwnCloud no Ubuntu ou Debian

Estes dias publicamos um artigo sobre o DropBox e a possibilidade de hospedar 23 Gb de dados grátis, por dois anos. O nosso leitor Frederico comentou na nossa postagem sobre a ferramenta OwnCloud, comparando-a ao DropBox, tendo em vista que o OwnCloud é livre e você pode criar seu próprio servidor, escolhendo quanto quer hospedar: realmente muito melhor que o DropBox.
Confira abaixo um tutorial da instalação do OwnCloud no Ubuntu (também servirá para o Debian “Squeeze”). Vamos lá:
1.- Instalando as dependências
apt-get install php-pear php-xml-parser php5-sqlite php5-json sqlite mp3info curl libcurl3-dev zip
2.- Criando a base de dados MySQL
Em um terminal, rode os seguintes comando:
mysql -u root -p
Após digitar a sua senha, digite o seguinte comando:
mysql> create database nome_da_sua_base_de_dados;
O MySQL deverá responder: “Query OK, 1 row affected (0.00 sec)”
Feche o MySQL
mysql> quit
3.- Download e descompactação do OwnCloud
Faça o donwload deste pacote (owncloud-x.tar.bz2) e descompacte-o:
tar -xvf owncloud-x.tar.bz2
4.- Mova o diretório do OwnCloud para o Apache
mv owncloud /var/www
5.- Dê as permissões necessárias ao servidor web
chown -R www-data:www-data owncloud
6.- Reinicie o Apache
/etc/init.d/apache2 restart
7.- Terminando a instalação
Na barra de navegação digite: localhost/owncloud
Será aberta a janela abaixo para completarmos a instalação
Crie uma conta de administrador e selecione a opção “Advanced”. Então, entre com o nome de usuário nome do banco e a senha do banco de dados e clique em “Concluir a instalação.” Uma vez dentro do seu próprio painel administrativo, você poderá configurar o serviço e criar usuários.
Para garantir o acesso da Internet, usaremos o serviço de DNS dinâmico do No-IP (pode ser outro tb). Uma vez que temos a nossa própria neste serviço, poderemos se conectar de qualquer lugar com internet no nosso servidor, utilizando em um browser o endereço:
http://nome_do_No-IP.no-ip.org/owncloud
8.- Aumentando o limite de uploads
Por padrão, o limite de uploads de arquivos é pequeno. Alteraremos o arquivo /etc/php5/apache2/php.ini onde buscaremos pelas linhas:
“upload_max_filesize”
“post_max_size”
Mude para os valores que achar adequado.
Pronto, agora temos nosso próprio servidor de hospedagem com espaço ilimitado e livre!!
Fonte e Créditos: aqui Mais informações aqui.

1 comentários:

Stoq - conjunto de aplicativos de gestão comercial e industrial


O objetivo principal do Stoq é suprir as necessidades de pequenas e médias empresas do mercado brasileiro, atendendo aos requisitos necessários estando de acordo com as regras impostas pelo governo, como Sintegra, Impressoras Fiscais (ECF),apuração de impostos sobre compra e venda (ICMS), impostos sobre serviço (ISS), CFOP e etc. O Stoq possui suporte multi-idioma e está traduzido para três deles: inglês, português e espanhol. Tem suporte a dispositivos específicos do Brasil e estes estão implementados em plugins para evitar a exibição de tal funcionalidade para os usuários de outros países.

O Stoq é desenvolvido em Python e utiliza PostgreSQL database para armazenamento. Sua interface gráfica é escrita em GTK através do python bindings. É utilizada uma variante do MVC arquitetura esta que torna mais fácil escrever interfaces gráficas, como para web. Contém uma infra-estrutura de plugins que permite chamada de módulos externos para estender o framework. É desenvolvido primeiramente para sistema operacional GNU/Linux, mas, para desenvolvedores com grande experiência em outros sistemas, deverá ser fácil portar para outros sistemas operacionais. Para facilitar aos usuários interessados em testar o software, o Stoq é distribuído também em Live CD baseado no Ubuntu.

Stoq é uma suíte de aplicativos de gestão comercial e industrial open source distribuído e desenvolvido pela Async Open Source (Brasil). Trata-se de um conjunto de aplicativos desenvolvido sob a GNU General Public License (versão 2) e a maioria das bibliotecas estão sob GNU Lesser General Public License disponibilizado como software livre.

Para instalar no Ubuntu basta abrir um terminal e executar os seguintes comandos:

$ sudo add-apt-repository ppa:stoq-dev/lancamentos
$ sudo aptitude update
$ sudo aptitude install stoq

Ou visite este link para maiores explicações.

Na primeira execução do Stoq é executado um assistente de instalação. É só seguí-lo respondendo às perguntas de acordo com a sua necessidade:


Nesta etapa do assistente você deve optar (ou não) os plugins que você necessita:


Nesta etapa você precisará criar a senha de administrador do Banco de Dados:


Se você ainda não tem um servidor PostgreeSQL instalado na sua máquina, o assistente irá avisar e iniciar a instalação do servidor:


Para entrar no Stoq é necessário digitar a senha de administrador que você criou::


Somente na primeira você receberá um pequeno aviso:


Será aberto um diálogo para o preenchimento de todos os dados necessários da empresa. É preciso um número de CNPJ para passar desse ponto. Se não tem um e deseja apenas testar o software, visite este link e crie um CNPJ válido (faça isso apenas para testar o programa):


Uma vez preenchidas as informações... é só começar a trabalhar e explorar o Stoq:




Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

LibreOffice ganhará recurso de edição colaborativa


Uma das últimas grandes características que faltam ao LibreOffice é a edição colaborativa. Para preencher esse buraco, Eike Rathke (da RedHat) vem trabalhando há algumas semanas no código do Empathy ligado no núcleo do LibreOffice. O Empathy foi escolhido para nos permitir configurar um canal de comunicação multi-caminho e de protocolos de mensagens instantâneas (IM) protocolos, sem exigir qualquer tipo de servidor.

A coisa interessante sobre isso é que LibreOffice não precisará se ​​conectar a umservidor externo para compartilhar o conteúdo e as respectivas alterações, basta para isso usar o mensageiro Empathy para comunicação direta entre os usuários, numa grande LAN como experiência ao visualizar as alterações feitas por cada um dos editores.

Com capacidade de multi-usuários de bate-papo fornecidos pelo protocolo Jabber onde a ordem das mensagens é definida e constante, é possível garantir que as alterações feitas com documentos vistos por cada participante de uma forma ordenada.


Vale lembrar que este recurso ainda é um protótipo e não tem data para ancorar em uma determinada versão do LibreOffice. No entanto, se você quiser participar no desenvolvimento deste importante recurso e revolucionário você está convidado a se juntar à equipe de desenvolvimento do LibreOffice.

Fonte e Créditos: aqui e aqui

0 comentários:

Deluge - versão 1.3.4


Deluge é um cliente BitTorrent para GNU/Linux, Mac OS X, Unix e Windows. Ele foi projetado utilizando o modelo cliente-servidor com um processo daemon que controla toda a atividade bittorrent. A última versão do bittorrent Deluge está agora disponível e pode ser instalado a partir do PPA oficial.

Para instalar a última versão do Deluge via PPA no Ubuntu, basta abrir um terminal (para quem ainda não tem o PPA adicionado à sua lista de repositórios) e executar os seguintes comandos:

$ sudo add-apt-repository ppa:deluge-team
$ sudo aptitude update
$ sudo aptitude install deluge

Ou faça o download neste link.

Fonte e Créditos: aqui

0 comentários:

Telas do Futuro

Em breve, teremos duas telas e telas maleáveis ​​, telas construídas em Wi-Fi conectados espelhos , mesas ou posterior dos dispositivos revestidos com telas e-ink e feedback tátil e telas coloridas com grande contraste na luz solar , holografia / telas estereoscópicas e toque de cor e tinta telas.

Assista o vídeo e comece a imaginar essa tecnologia em nossas mãos

0 comentários:

O conteúdo deste blog/site pode e deve ser divulgado, conforme lei a 9.610/98 meus direitos estão assegurados, portanto eu permito a copia e reprodução gratuita, seja total ou parcial, não acarretando qualquer onûs financeiro aos interessados, porém, vedo o uso para fins lucrativos, toda reprodução para o público deve citar a fonte extraída, no caso o Técnico Linux - O Espaço do Software Livre e seja citada junto com um link para a postagem original, onde a referência deve estar numa fonte de tamanho igual ou maior a do texto, obviamente que os links citados não estão sujeitos ao mesmo termo. O conteúdo textual original desta página está disponível sob a licença GNU FDL 1.2.

Todas as marcas citadas pertencem aos seus respectivos proprietários. Os direitos autorais de todas as ilustrações pertencem aos respectivos autores, e elas são reproduzidas na intenção de atender ao disposto no art. 46 da Lei 9.610 - se ainda assim alguma delas infringe direito seu, entre em contato para que possamos removê-la imediatamente ou ainda lhe dar os devidos créditos.

Copyright © 2016 O Espaço do Software Livre